Connect with us

Política

OPERAÇÃO ACOLHE VENEZUELANOS VÍTIMAS DO REGIME TOTALITÁRIO

Published

on

A Operação Acolhida registrou 78.767 venezuelanos interiorizados em 844 municípios brasileiros entre abril de 2018 e junho deste ano. A estratégia permite a realocação de refugiados e migrantes do país vizinho de Roraima para outros estados do Brasil. Em 2022, até o último mês, haviam sido interiorizadas 12.510 pessoas.

A Operação Acolhida é uma estratégia federalizada de oferta de assistência emergencial aos refugiados e imigrantes venezuelanos. Coordenada pelo Governo Federal, é composta por 11 ministérios e conta com suporte de agências da Organização das Nações Unidas e de mais de 100 entidades da sociedade civil. O Subcomitê Federal para Acolhimento e Interiorização de Imigrantes em Situação de Vulnerabilidade, coordenado pelo Ministério da Cidadania, atua na gestão dos abrigos federalizados na fronteira e é responsável pelos processos pertinentes à transferência voluntária dos imigrantes das cidades de fronteira para outros estados brasileiros.

A intenção é oferecer assistência emergencial aos refugiados e migrantes venezuelanos que entram no Brasil pela fronteira com Roraima, organizando a chegada deles, buscando inserção social e econômica e apoiando na procura por emprego e moradia, principalmente nos municípios de Boa Vista e Pacaraima.

Manaus é o município que mais recebeu cidadãos da Venezuela interiorizados desde abril de 2018: 5.287. Em seguida aparecem Curitiba (5.189), São Paulo (4.255), Dourados (MS), com 3.329, e Chapecó (SC), com 2.814.

Os três estados do Sul são recordistas no acolhimento. Para Santa Catarina foram interiorizados 14.156 venezuelanos, o Paraná recebeu 13.604 e o Rio Grande do Sul, 11.806 até o último mês.

De acordo com estimativas da Organização das Nações Unidas, mais de cinco milhões de pessoas foram forçadas a sair da Venezuela em busca de melhores condições de vida nos últimos anos. O Brasil é um dos cinco destinos mais procurados